Paz, música e amor


domingo, 20 de janeiro de 2013

...



“Algumas pessoas se destacam para nós. Não há argumento capaz de nos fazer entender exatamente como isso acontece. Porquê dançam conosco com mais leveza nessa coreografia bela, e tantas vezes atrapalhada, dos encontros humanos. Muitas vezes tentamos explicar, em vão, a medida do nosso bem-querer. A doçura de que é feito o olhar que lhes dirigimos. O sentimento que nos move para ajudá-las a despertar um único sorriso. Não importa quando as encontramos no nosso caminho. Parece que estão na nossa vida desde sempre e que mesmo depois dela permanecerão conosco.”

Ana Jácomo

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Incompreensível


Olho para trás e vejo aquela menina que queria entender tudo,
com medo de que não coubesse tamanha quantidade 
de informação dentro de si. 
coube e ainda cabe.
E quanto mais entra, mais sobra espaço para a dúvida. 
compreendo hoje que nunca entenderei a morte, os sonhos, 
a sensação de dejá-vu e as premonições. 
Nunca entenderei por que temos empatia com uma pessoa
e nenhuma com outra.
Não entendo como o mar não cansa, nem o sol. 
Não compreendo a maldade, 
ainda que a bondade excessiva também me bote medo.

Martha Medeiros

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Viva!



“Estou desconfiada de que a gente cresce quando começa a aprender, com o sentimento, muito além da retórica, a não permitir que uma desilusão ou outra nos afaste de nós mesmos e nem dos nossos sonhos mais bonitos. Estou desconfiada de que a gente cresce quando é capaz de entender que estar vivo é perigoso, sim, é trabalhoso, sim, mas também é uma oportunidade rara e imperdível. Que há que se pagar o preço, se a ideia é ser feliz e inteiro (…)”

Ana Jácomo  

domingo, 29 de julho de 2012